UM POEMA DE
MIODRAG
PÁVLOVITCH



Sombra
desconhecida
dentes cerrados
diante da porta

Condenados
a
florescer
nas paredes

um grilo na janela
encontrou o
caminho
de ida e volta às estrelas


(“Noite”, poema de Miolodrag Pávlovitch, um dos nomes mais representativos da poesia sérvia contemporânea. Poema extraído do livro “Bosque da Maldição”. Tradução de Alexsander Jovanovic´.)

“MANOS A LA OBRA”
Uma professora chamada Marisa Negri, trabalhando com adolescentes pobres em Buenos Aires. Em áreas violentas, como qualquer periferia de grande cidade no mundo. As partes do mundo enfim desnudadas. Uma vida em Buenos Aires, com o tango que se toca aqui. Veja o blog La Huela del Dragón!


ARGILA DA PALAVRA
Mandei um livro pra Esmeralda Garcia em agradecimento por ter publicado meus poemas. E ela aderiu a guerrilha que é vender meu livro. Tenho aqui uma loja virtual no blog. E agora Esmeralda me dá de presente mais uma filial sediada na amplitude das avenidas virtuais. Entre!



OS CANIBAIS DA ANGÚSTIA TROPICÁLIA
Eu não saberia reconhecer os caminhos. São outros os ventos que veiculam meu poema por sobre as águas. São imaginárias as atitudes esmiuçadas pelo avesso do que somos. Ainda assim carrego em mim um instinto de bicho. Um percurso de bicho que voa. Um estampido no silêncio. Multicídio: Angústia, medo e delírio!

O SISTEMA
Olha, bróder! Veja só o que é o sistema. O sistema é aquela coisa para a qual você se rende quando acha que não tem mais saída. Quando admite a mortalidade de Fidel e o dedo safado de Lula, que nunca mais ninguém encontrou. O sistema é um par de peitos pululantes na academia, num suor que caberia muito mais às areias... um oco sem saída. Por isso eu escrevo. Escrevo como quem vomita pra não ser engolido!


por que
escrevo
poemas curtos?
(eu
ando
em
busca
do
silêncio)

Comentários

marilia disse…
Nova casa, ficou muito bom. Lau agora é meu poeta de travesseiro, pq é daqueles raros, artista não apenas qndo publicado em livro. Mas em cada gesto em que se estende, cada palavra.
beijo
héber sales disse…
guardarei esse do poema curto pra mote. um abraço.
Lembrei-me de vc semana passada: EU FUI PRA CASA!!!! Com todos os significados que isso venha a ter!! :)
Voltei pra cá já pensando em voltar pra lá...
bjinho!!! :)

Postagens mais visitadas deste blog