nada não

sabe
essa coisa que limita a sorte
de quem foge da fome
com a cara clandestina

e suprime a certeza
diante da
impressão de vida fluente na
imensidão da
paisagem humana da cidade

e se perde de mim
se perde de mim

e de ti
e permeia as gameleiras
que em simples nós
comprimem o que não está no
que dizem
nossas bocas secas

nossas bocas
prescritas pelo cansaço dum
pálido fiapo de rio que
insurge o crespo silêncio
da noite que assim
parece mais amena

) mas...
é a mesma noite assassina (

a mesma noite
dentro dum carretel de coisas
que no espaço de um minuto
acontecem no mundo

por isso respiro fundo
o hálito da manhã que nos
abriga para um dia de luz

no meio da meia noite
que trafega no ar


e em mim

r
e
s
p
i
r
o

(espirro!)

(ls - da série poemas vermelhos)

ILIMITES

A distância entre o sim e o não e a distância que os separa na amplitude de uma decisão, são infinitamente distintas. Estamos sempre na medida do erro. A vida está sempre na medida da morte. A soberania está sempre na medida da mais profunda servidão. Por isso não é a distância entre o sim e o não que impedem a serenidade dos rios que correm para o mar, com águas sobrepostas num mesmo transbordar...

SANDINO
Não penso mais em revolução. Jovens de arma na mão recuperando a dignidade da raça. Não me iludo mais com bandeiras vermelhas e mesmo estrelas, foices, martelos... fico colhendo na memória do mundo, frases que indicam caminhos. Como a de Augusto César Sandino: “não me rendo, não me vendo. Tenho de ser vencido.”

COSTUMES
Juro que não nasci pra isso, mas vou cumprindo como posso o que represento com minhas somas e perdas. Ando caminhando meus palmos e plumas dentro do que não me pertence, mas que está em mim e que guardo como se guarda um pássaro no vôo. Vou...

ANA LOYOLA
Menina danada essa Ana Loyola. Dizia que seu Trabalho de Conclusão de Curso, no Depto. de Letras da UFPA, campus de Santarém seria sobre a minha poesia. Eu acreditei. Agora escreve os “finalmentes” de um projeto chamado “Meu caso de amor com Lau Siqueira – um guardador dos sentidos. Susy, procê este post.Obrigado pela alegria tão imensa do teu carinho.

DIAS IMENSOS DE POUCAS HORAS
Tenho vivido dias imensos em poucas horas. Quase não respondo meus e-mails. Tudo que me faz vivo corre e transcorre em minhas artérias...
Ufa!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog