Translate

domingo, 5 de outubro de 2008

PORTOPOESIA
Confira aqui a programação completa: www.portopoesia2.blogspot.com . Minha participação se dará no dia 10 de outubro, a partir das 16h.

corpacorpo


um corpo
visível pomo nuca
soluça na taça

vinho no lado
dormido da
memória

não cabe no oco

indo rugindo rindo
surgindo de dentro

como raiz
que floresce asas

(ls – poema vermelho)



PAREDE POÉTICA
O SESC de João Pessoa está promovendo uma Parede Poética no terminal da CBTU – Central Brasileira de Trens Urbanos, aqui em João Pessoa. Uma exposição onde apareço ao lado de artistas como Pedro Osmar e Cátia de França e também do poético ser que habitou as beiradas da ladeira da Borborema, Manoel Caixa D’água. Boa viagem!

CHEGANDO A HORA
Não vejo a hora, creia, de abraçar meu povo e celebrar com meus mortos a vida transbordante que aprendi com eles. Dia 8, vou dormir em Porto Alegre. Deu saudades de casa, nego! Uma casa que não é mais minha, mas mesmo assim deu saudade.

POESIA NO PORTO
Dia 10 vou falar de poesia no PortoPoesia, ali no Shopping Total, na velha avenida Cristóvão Colombo, em Porto dos Casais (primeiro nome de Porto Alegre). Às 16 horas, autografo meu livro na Alameda dos Escritores. Às 17, vou mais uma vez lançar as provocações acerca da potencialidade do livro de poesia num mercado ainda não inventado. Vou falar dos cordelistas e, também, das comunidades do Orkut.

O MERCADO É ABERTO
O mercado do livro abriu as pernas diante de uma mídia poderosa como a internet. São 59 milhões de usuários no Brasil. As redes sociais como o Orkut, chegam a abrigar comunidades de admiradores de Carlos Drummond de Andrade, com mais de 250 mil cadastrados. Manuel Bandeira, Fernando Pessoa, Mário Quintana, Leminski. Todos possuem comunidades com milhares de pessoas cadastradas, um público potencialmente consumidor de poesia. Como chegar neste público?

CONVERSAR SOBRE POESIA
Conversar sobre sexo não é a mesma coisa, claro. Mas, a poesia tem algo de rebeldia, algo de sublime. Conversar sobre poesia, é como se fosse investir nas preliminares. Seja qual o tema. Poesia em debate é êxtase no cercado de concreto das grandes aldeias urbanas deste início de milênio.

3 comentários:

Clarissa Marinho disse...

"como raiz que floresce asas"
q lindo! boa viagem!
=*

Átila Siqueira. disse...

Adorei suas idéias, o poema é maravilhoso. Mas quero falar principalmente da poesia na internet. Acho que você tem toda a razão, o potencial que a internet vem mostrando com relação a poesia é muito grande. E não falo só de comunidades de autores famosos, mas também da quantidade de produção de autores independentes, que estão lutando para conseguir lançar.

Acho que o grande problema no Brasil com relação a literatura, de modo geral, é que o mercado editorial não dá vasão aos escritores que surgem, e isso tira o incentivo da literatura. O que é preciso na verdade é criar o hábito da leitura nas pessoas, e ao mesmo tempo dar oportunidade aos jovens escritores. Potencial já existe, pois vemos que pela internet a procura por poesia é muito grande, mas falta um incentivo mais organizado por parte de editoras, do governo, e da sociedade como um todo.

Gosto muito do seu blog, e parabéns pelas suas conquistas.

Um grande abraço,
Átila Siqueira.

putas resolutas disse...

ô xente - quinveja!!! poa é tri-legal e teus versos unem o nordeste e o sul! desta vez estarei no livro da tribo, onde te li inúmeras vezes!
besos!

ah, obrigada pela visita ao putas resolutas!

adoro estar neste endereço:
http://www.escritorassuicidas.com.br/liria_porto.htm