segunda-feira, 3 de novembro de 2008

tri-bala!

olhos vermelhos
de espanto

reconheceu laços
no abraço

recebeu do barro
palavras necessárias
ao poema

( pausa
de estranhamento )

tudo num porto
quando em poesia
a vida transbordava

( )

andou pelo tempo

e o poema nada

nada nada nada nada
como um demiurgo
náufrago de lua

(Cacau, essa é tua! – ls)

BALA
Aqui é massa, lá é bala. Um show é massa aqui. Nos pampas, o mesmo show será bala. Bala é coisa que sai da boca de menino bom da zona sul de Porto Alegre. Bah! Linguagem é uma viagem. Essa foi pro Lucca.

PALAVRAS DE ÁGUIA
Um poeta paraibano está divulgando seu blog. É o meu amigo Águia Mendes. Confira: http://aguiamendes.blogspot.com/

OS FILHOS DOS HOMENS
Parece que a possibilidade de um homem parir já é realidade. Revistas dizem que Assis Brasil é tão pai literário de Daniel Galera quanto Raimundo Carreiro de Marcelino Freire. Sendo assim, quem são as mães literárias dos meninos? Mas o que está em questão é o seguinte: Oficinas literárias produzem talentos? O diálogo será na caixinha de responsa dos recados ao blog Poesia Sim.

POEMAS VERMELHOS
Começo a pensar na possibilidade de lançar lá para o final do ano de 2009, o meu quinto livro de poemas. Já ando juntando alguns, do blog ou não. O livro terá que ser, mais uma vez, auto-sustentável. Agora pelo selo Edições Chimarrão.

POESIA REUNIDA
Também já está na hora de reunir uma seleção dos meus 4 livros anteriores, numa bem organizada edição. Talvez esse seja um projeto para alguma lei de incentivo, estadual ou federal.

UM PROUST LEITOR
Comprei um livro em Porto Alegre que revela uma outra face de Marcel Proust: o leitor. Um livro onde Proust fala do seu prazer pela leitura. Ele fala, por exemplo, das imagens vivas que ficam em nossas memórias, de estórias que lemos quando meninos.

CIDADANIA
Dia 4, às 16h, recebo um título de cidadania pessoense na Câmara de Vereadores de João Pessoa. No início fiquei muito impactado com a notícia. Pensei que eu já era um Paraíba de tutano. Agora já acostumei. Estou grato às pessoas que articularam isso junto ao Luciano Cartaxo. Brigadón! A minha única dívida com tudo isso é continuar sendo a pessoa que sou, em todos os sentidos. Tenho um compromisso comigo, eu não mudo. Eu me transformo, apenas. Viva a cidadania conjugada, repartida!...

7 comentários:

thalytta disse...

muito belo e aprazivel aos sentidos teus poemas.

abraço e inspiração sempre
visite o meu blog


http://poemamarginal.blogspot.com/


estou começando agora e sua opiniã é muito importante

Alessandra Roscoe disse...

Gostaria de participar da blogagem sobre Cecília, mas preciso de informações sobre como fazer. Você poderia dar as coordenadas no meu blog?
http://contoscantoseencantos.blogspot.com
grata,
Alessandra

Álvaro Andrade disse...

Aqui na Bahia bala também é bala!, e massa também!
somos, então, aí e lá, sem viagem, no mesmo lugar.

Betomenezes disse...

Oi Lau, meus parabéns pela homenagem. Fico feliz por pessoas merecidas ganharem esse título. Abraço. Betomenezes.

www.betomenezes.blogspot.com

Gil de todos os dias disse...

Não sou pessoense nem paraibana, mas escolhi João Pessoa pra viver e acho ótimo quando ela adota pessoas como vc!
Parabéns "pessoense"!!!

Cláudia Gonçalves disse...

Lau, esse teu blog é TDB...
Menino amei "tri-bala"!
Obrigada pelo carinho, poetAço.

Beijoscau.

Cláudia Gonçalves disse...

Isso é que é poeta!
Consegue extrair poesia até da lama...
Aplausos de PÉ E MÃO.