transmutar-se

eu vi um homem
de bandeira

e era mesmo um
homem não era
um bicho


(e eu aqui
colhendo lírios)

(lau siqueira – poema andarilho)

2009
Que não nos falte coragem, nem capacidade de invenção. Que as armadilhas sejam todas visíveis aos mais subjetivos dos sentidos. Que não nos falte leveza nem firmeza. Que o amor seja um elo com o universo. Que a solidariedade seja uma razão construída. E que o que é absoluto, jamais seja tudo. Sejamos, pois, felizes em 2009.

Saciemos nossa sede de saber, nas melhores fontes.



AVE!

DEUS CONSTRUÇÃO
DE S CONS TRUÇÃ O
ES D SOC UM RTÃÇO
DE S COM DES TÃDU
DESCONSTRUÇÃO D
ESCONSTRUÇÃODEI
SCONSTRUÇÃODEU
SCONSTRUÇÃODEU
D’EUSD’EUSD’EUSD’’’’’


NOVOS RUMOS
Dia 2 a vida estará diferente para o poeta. (Um xadrez em minha frente.) Pedras postas, dispostas aos movimentos dolentes das mãos. É tempo de reconstruir esperanças. Adelante!


TERCETO

tudo pula e sofisma
e até arroto tem rima
(só não tem clima)

Comentários

BAR DO BARDO disse…
eu digo "sim", sempre. bandeira é ótimo e o que vc fez, a des e/ou reconstrução d'o bicho foi bem legal. bom ano, cara!
ronald augusto disse…
lau, um forte abraço, e obrigado pela força, toda ajuda é bem-vinda.
infelizmente o ano de 2009 começa menor: o poeta oliveira silveira faleceu no dia 02. meu amigo e poeta que sempre respeitei, o melhor da sua geração.

abraços!
ronald
Constança Lucas disse…
2009 em Poesia solidária !!!!!!!!!


abraços
Constança
Anônimo disse…
Desculpe
mas isto ser poesia? nãoooo!

para se ser poeta não basta dizer-se:

poesia.

Amigo,
leia poesia e depois talvez você também consiga escrever alguma coisa que se possa chamar: POESIA.

Uma coisa é fazer uns versos, outra é escrever-se poesia.

Não conhece a diferença?

Que tal se lesse Seferis, Baudelaire, Bonnefoy, Elytis, Kavafis, Rimbaud, Hölderlin, Aleixandre, Nava, Ramos Rosa, Al Berto, Ungaretti,Ritsos, Paz,Rilke, Eluard, Neruda, Novalis, Alberti, Salinas etc.
Luciana Marinho disse…
colhendo lírios... me dá um? :)

cuidador das palavras-vivas,
feliz 2009!

beijo.
nydia bonetti disse…
Ao ler teu AVE!, me lembrei de Carducci:
"Ave, rima, dá-me a flor
Para o amor,
Como para o ódio a seta."
São tantas as fontes...
Val disse…
entre os ofícios do poeta, reencantar-nos diante da vida, emprestar-nos olhos de ver o novo e de desejar "que o que é absoluto, jamais seja tudo."
SIM, é meu voto também: sejamos felizes em 2009!
beijo grande, poeta!
Val
Val disse…
em tempo: valeu a indicação do blog de Namibiniano. Monangambé e a voz de Rui Mingas, por exemplo, levam a gente prá longe/perto!
"Naquela roça grande não tem chuva /e o suor do meu rosto que rega as plantações /naquela roça grande tem café maduro/ e aquele vermelho cereja são gotas do meu sangue/ feito a seiva. [...]"
é pra conferir e curtir!
bj p ti
Flávia disse…
Um homem de bandeira!

poemar corações é bandeira de molecer dureza!!!!

abraço,flávia
lau siqueira disse…
Engraçado, amigo Anônimo (lindo seu nome!). Você cita Paz e Rilke. Agora, veja bem: no livro Convergências - ensaios sobre literatura, é exatamente Octavio Paz que afirma que "depois de mais de dois milênios de especulações estéticas, de Aristóteles e Heidegger, sofremos uma espécie de enjôo ideológico e já ninguém sabe ao certo o que significa a palava poesia". Pelo visto, você sabe. E ao citar Rilke, parece que você esquece que em Cartas a um jovem poeta, diz que "não há nada menos apropriado para tocar uma obra de arte do que palavras de crítica, que sempr resultam em mal entendidos mais ou menos felizes. As coisas estão longe de ser tão tangíveis e dizíveis quanto se nos pretenderia fazer crer; a maior parte dos acontecimentos é inexprimível e ocorre num espaço em que nenhuma palavra nunca pisou." Por isso, também ouso convidá-lo a ler "O ABC da Literatura", de Ezra Pound. Mas, sobretudo, gostaria de dizer que adorei sua participação no blog e espero que aceite continuar esse debate que é, tenha certeza, muito rico. Até porque não sei mesmo se o que escrevo é poesia e muito menos se sou poeta. Aliás, nem tenho certeza se existo, ou sou apenas um blog.
Um grande e afetuoso abraço e feliz 2009.
Lau
Anônimo disse…
Lau, meu amigo, teu coração é imenso, mas teu saco é incomensurável. Como eu gostaria de ter a tua boa vontade com as pessoas. Tua paciência, tua esperança. Talvez eu fosse melhor poeta, um pouco à tua altura. Um abraço. Rona.

Postagens mais visitadas deste blog