Translate

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

cobaia


não existem feridas
que não cicatrizem

mas a marca funda
de um olhar amargo

dói como a dor de

um bicho esmagado

(do meu primeiro livro, O comício das veias – Ed. Idéia-Pb, 1993. O livro foi feito em parceria. Poemas meus e contos de Joana Belarmino)

POEMAS ANTIGOS
Tenho publicado em destaque no Poesia Sim, poemas dos meus livros anteriores. Aliás, todos devidamente esgotados. Tenho um projeto (aliás, uma idéia) de publicação a partir deles. Pretendo fazer uma seleção de poemas. (Quem sabe um dia.) Por enquanto, tudo não passa de um sonho...

NALDINHO
Escrevi ontem o texto de apresentação do CD “Todos do mesmo lado”, de Naldinho. Para os paraibanos que não lembram, Naldinho era baixista do excelente grupo de rock sertanejo, Apokalipsy. Depois fez história com o Tocaia da Paraíba, cujo primeiro CD também possui apresentação minha. Professor da UFPB, campus de Cajazeiras, Naldinho é um grande pesquisador das raízes da cultura nordestina. Suas composições são impecáveis, eivadas de cheiros humanos e teares universais. Aguardem!

boca di eros



quando incêndio
tua pele permeia meus
gemidos

(dedos escorrem
pelos nós da blusa)

falo em tua língua
minhas verdades mais
nuas

e mergulho no
oceano da tua imensidão

como quem descobre o
significado das coisas

num gozo


(lau siqueira – poema vermelho)

A CANÇÃO DO PERIGO
Peito aberto sobre os esgotos. Sem pele, sem nada... Olhos abertos na treva ensolarada de um novo horizonte. Um novo horizonte tramado num cenário de horizonte algum. Então escuto um choro de melodias escondidas nos becos... por sobre os dejetos de um mundo que não goza, apenas Gaza!

MEUS EDITORES
Sempre me emociono quando coloco o endereço em um envelope com um exemplar do meu Texto Sentido. Pensei nisso agora quando enderecei um exemplar para Regina Coeli, de Laranjeiras-RJ. O livro somente pode ser comprado aqui no blog e no site da livraria Martins Fontes. A venda alternativa, no entanto, vem garantindo a minha existência editorial independente. O livro não está nas livrarias por decisão pessoal. Nunca foi um sucesso a relação por consignação com os livreiros. O livro vendia, mas o pagamento era sempre uma aventura. Por aqui, vou garantindo os recursos do próximo livro que já está sendo pensado e que resultará de uma parceria com a artista visual portuguesa, Constança Lucas. Meus leitores e leitoras são, na verdade, meus editores aos quais agradeço profundamente.

5 comentários:

Adriana disse...

belos os poemas, a língua nua é a pele em pelo, sem ossos, sem nada, a poesia rói até o osso.Ah, gostaria de ver um livro teu de "the best"...

Linaldo disse...

naldinho é, além de talentoso, uma grande figura humana. bom saber que o cd dele está para sair. abraços

BAR DO BARDO disse...

gostei do falo na língua resultando em gozo.
gozo binário.
gozo universal...

poesia, eu digo sim !!!

cássio amaral disse...

VIRAR À ESQUERDA
ENCONTRANDO UM SAPATO TORTO
DIANTE DE UM SORRISO MAROTO.

Cássio Amaral.

Brother, seu blog afiado, vai cortando palavras, emoções, gestos, sensações, versos, movimento, vida, flash, átimos, metonímias, metáforas, catacreses, figuras de linguagens. Signos.
No fim o pó e po proema é proa.
No fim só ficamos em signos
e aqui é bom vir e sacar tua lavra nova, sua produção toda.
É bom saber que há LAU SIQUEIRA.
Engraçado brother, meu avô materno era negro e chamava Laudelino, seu apelido era Lau.
Parabéns e tudo do melhor pra você hoje e sempre meu caro.

Um abração e muita luz. Muita luz.

Meu livro novo está pronto, chama-se Sonnen(do japonês razão+sentimento+vontade), ou também pensamento e projeção. Tem comentário de Rodrigo de Souza Leão (homem de Todos os cachorros são azuis).
Velho, vamos nos falando aí.

MUITA LUZ, SAÚDE, PROSPERIDADE E PAZ.

Regina Coeli Carvalho disse...

Emocionada fiquei ao receber seu livro e um cartão tão gentil.
Não contento-me com a leitura virtual, tenho uma relação de afeto com o livro, preciso tocá-lo, grifar trechos que fazem-me pensar e após a leitura posá-lo na estante. O livro precisa ser acariciado e com certeza o seu será um deles.
Parabéns pela sua sensibilidade, poeta!
Carinhoso abraço.