sábado, 21 de fevereiro de 2009

conluio


a morte
é um passo
absurdo

junta os pés
de todo mundo

(poema do meu terceiro livro, Sem Meias Palavras – 2002, publicado também na edição de Aos Predadores da Utopia, pelo projeto Dulcinéia Catadora. Aliás, um projeto que vale a pena conhecer. Veja!)


LÚCIO LINS
Ontem seria o aniversário de nascimento do poeta paraibano (amigo muito querido), Lúcio Lins. Além de grande poeta Lúcio era um sujeito admirado por todas as pessoas. Até os canalhas gostavam dele! Para homenageá-lo, deixo registrado no Poesia Sim um dos seus poemas mais emblemáticos. Um texto que foi musicado e gravado pelo também poeta de inventivas melodias, o paraibano mallarmaico, Chico Cesar. Vale a pena conferir o clip da canção que foi gravada também com muita beleza e singularidade pela minha amiga cantora e compositora, Eleonora Falcone - pessoa imensa que conta com a minha mais alta estima. http://www.cifras.com.br/videoclip/chico-cesar/duas-margens


POEMA DE LÚCIO LINS COM MELODIA DE CHICO CESAR

Quando o tempo me cobrir os céus
Com a anágua suja da tua espera
E teus lábios forem duas margens
Um gritando calmaria, outro clamando tempestade
Eu voltarei, de corpo e barco voltarei
E por ti seguirei minha viagem
Navegarei entre teus braços e segredos
Eu serei teu búzio, tu serás o meu degredo.

(Duas Margens, poema de Lucio Lins, musicado e gravado por Chico Cesar. Gravado também por Eleonora Falcone. Vale a pena conferir o clip (link acima). Vale a pena aproveitar a oportunidade para rever o site e o delicado talento de Eleonora Falcone)


VIVA JOÃO BALULA
No próximo dia 5 estarei participando de uma mesa na UFPB, falando sobre o mestre da cultura paraibana que foi João Balula. Balula foi impar nas lutas dos movimentos LGBT, Movimento Negro, Movimento Cultural, (Movimento Teatral especificamente), na defesa aguerrida da Cultura Popular e da espiritualidade negra. Anarquista convicto, fez da própria vida um manifesto pela igualdade de direitos entre os seres humanos e pela harmonia com os demais seres da natureza(os visíveis e os invisíveis). Prematuramente, Balula faleceu no ano passado. Muito prematuramente, diga-se de passagem. Do mesmo evento participam as escritoras Lucila Nogueira, Conceição Evaristo, Lourdes Bandeira, o jornalista Jose Arbex , entre outros bons nomes. Nas próximas edições do Poesia Sim, mais detalhes sobre o evento, programação, etc. (O carnaval era a cara de Balula.)

POESIA EM SALA DE AULA
Recebi ontem um e-mail de Jhenifer, amiga do orkut, estudante de Letras na UNESP. Ela me conta que sua professora anunciou meu nome entre os poetas contemporâneos que serão estudados este ano. Vezenquando me chegam novidades boas assim. Como o Trabalho de Conclusão de Curso – TCC da Ana Loiola, no Departamento de Letras do campus de Santarém da UFPA. Aliás, um trabalho com um titulo bastante criativo e bem humorado: “Meu caso de amor com Lau Siqueira – um guardador dos sentidos. Ana conheceu minha poesia através do Livro da Tribo, como tanta gente boa.

SUGESTÕES DE LEITURA
Conheça o blog de Gil Vicente Tavares, O Teatro Nu. Vale a viagem. http://www.teatronu.com/ !Também indico minha coluna no Portal Cronópios, onde falo da ancestralidade transgressora do coletivo musical Aguauna. Por ultimo, indico a revista eletrônica Verbo 21 (http://www.verbo21.com.br/) Creio que as dicas são sempre um bom motivo para o retorno ao Poesia Sim. Seja sempre bem vido. Seja sempre bem vinda.

7 comentários:

BAR DO BARDO disse...

Sim!

Acho que não conheço o poeta Lúcio Lins. Mas o tempo para a poesia é eterno...

Bons textos e dicas. Obrigado.

MARCOS LEITE(O POETA DA VIDA) disse...

Amigo,boa tarde,lhe peso desculpas,por há dias não lhe visitar,
Eu estava viajando,e assim ficava difícil de entrar em meu blog,
Agora estou de volta e espero que vc me entenda,
e espero que vc continue a visitar meu blog,
Pois sua presença sempre será especial para mim!

Tenha uma ótima noite!

vamberto spinelli jr disse...

Caro Lau,
também sou um grande admirador do Lúcio Lins, e lamento seu desaparecimento e o pouco tempo que tive de convívio com ele, principalmente, na Praça da Alegria.
Outra: Conheci na cidade de El Alto, na Bolívia, uma proposta editorial que segue a mesmo linha (ou algo parecido) com a Dulcinéia Catadora. Algo realmente interessantíssimo. A editora boliviana é a Yerba Mala Cartonera. Recebi o convite para publicar o sem lugar pela editora, e o Roberto Cáceres (um dos editores) lamenta a ausência da literatura brasileira entre os títulos já publicados. Penso que se houver interesse podemos propor alguma coisa. Comentei sobre a proposta com o Linaldo e Antônio Mariano, e se eu tivesse mais fôlego divulgaria mais o trabalho de Yerba Mala, fiquei realmente comovido com o trabalho deles, sobretudo pelo que gera em termos de democratização da literatura (pelo acesso, pela repercussão comunitária...). Isso é muito significativo numa cidade como El Alto, a "cidade subversiva", a "cidade aymara". Podemos conversar mais sobre isso, tenho um documentário interessante, posso repassá-lo.
Para saber mais:http://yerbamalacartonera.blogspot.com/ e http://estanteboliviano.blogspot.com/
um abraço fraterno

(¯`·._.·[***Celina***]·._.·´¯) disse...

Parabéns pelo belíssimo trabalho, dentre outras coisas, amo poesia.
Bjobjo
Luxos e Luxos - moda, beleza, poesia e afins

Assis de Mello disse...

Grande Lau,
Vim pular carnaval aqui no Poesia Sim. Seu poema "Mobília", na postagem anterior é soberbo.
Um forte abraço,
Chico

Compulsão Diária disse...

Magnífico "conluio". Bem humorado, conciso. Raro

Gil Vicente Tavares disse...

Caro Lau,

Fico bastante grato pela indicação do blog. Tento fazer desse espaço um lugar de discussão, provocação e crítica, além de divulgar atividades do grupo.
Fico também feliz em estar na sua lista afetiva. Só pediria que você colocasse o "Tavares", porque o povo pode confundir com o Gil Vicente Português.
Sempre que puder, visite o blog. A gente tenta atualizar pelo menos uma vez por semana.

grande abraço e parabéns pelo seu espaço,

GVT.