Translate

terça-feira, 17 de março de 2009

o galo


o silêncio
com suas equações
de estrelas
abre os portais
da madrugada

sob os olhos atentos
do infinito
um quarto de lua
empresta a partitura
ao galo

(do terceiro livro, Sem meias palavras)


MEUS LIVROS POR AÍ

A net sempre me surpreende enquanto ágil instrumento de mídia e pesquisa. Ontem consegui localizar três dos meus quatro livros. Eles estão à venda em alguns sebos pelo site Estante Virtual. site que se apresenta como a maior rede de sebos do Brasil. Esses exemplares, logicamente, foram carinhosamente desovados por alguém. Mas, a mim parecem filhos queridos extraviados pelo mundo que, de repente, dão algum sinal de vida. Senti certa alegria ao ter alguma notícia deles. Se alguma alma poética visitante do Poesia Sim estiver interessada, pode fazer o contato direto a partir do link aqui exposto.

SOBRE VENDA EM LANÇAMENTOS
Sempre fico desconfiado quando algumas pessoas que não curtem poesia, compram meus livros nos lançamentos. São pessoas que vêem um lançamento de livros como um evento social e não como um evento cultural. Essas pessoas acabam adquirindo livros por “obrigação de ofício”. Assim, os livros rapidamente transformam-se em entulho. Na primeira oportunidade, longe da visibilidade do fato social, desovam aquilo que é, para eles, um indigesto produto. Isso nem é triste e muito menos engraçado. Apenas revela o quanto de hipocrisia ronda o universo mágico da poesia.


DESENCANAÇÃO TOTAL
Faço esse comentário sem qualquer culpa ou ressentimento. É uma relação absolutamente natural, penso. Em 2002, dois colegas de trabalho compraram dois livros meus no lançamento (era o Sem meias palavras). Seis meses depois, ainda vi os livros autografados, no escaninho dos caras. Não contei conversa, comuniquei aos amigos que estava retomando os livros e que agradeci muito a contribuição deles para o pagamento do meu chopp naquela noite. Então, arranquei a página do autógrafo e doei os exemplares para duas pessoas que haviam manifestado vontade de adquiri-los. Eles riram muito, mas nenhum dos dois foi ao lançamento do próximo, o Texto Sentido. Acho que consegui tocar o coração dos meus amigos.

REVISTAS LITERARIAS
Recebi o convite do poeta Antônio Mariano para escrever um artigo sobre a importância das revistas e jornais literários. O texto será publicado no mais antigo suplemento literário em circulação no Brasil, o Correio das Artes, do qual o poeta Antônio Mariano é o atual editor. O texto pode ser conferido no meu outro blog, o Pele Sem Pele. Devo publicá-lo, também, na minha coluna no portal Cronopios.

UM POEMA DE LUIS QUINTAIS


Acordava cedo para admirar a luz,
as cifradas sombras ao longe em frente.

Encantava-o
o matinal reconhecimento

da luz escondida
na negação do sono,

na nocturna letargia das horas
longamente prolongadas.

Encantava-o
a quietude aparente

das somrbas ao longe em frente
o azul cobalto no tecto do mundo,

o verão
a reticulada presença do verão.

(Tecto do mundo, poema de Luis Quintais, poeta angolano nascido em 1968, em Luena. Poema extraído da revista Inimigo Rumor, editada pela Sete Letras.)

7 comentários:

Mirse disse...

LINDO!!!!
A equação de estrelas já forma uma bela imagem e o quarto de lua emprestar partituta aos galos, fez a magnitude do poema.

Bravo!!!

Parabéns!

Mirze

MARCOS LEITE(O POETA DA VIDA) disse...

Amigo(a) tem um selo para você em meu blog!

Lis Cristina. disse...

Querido, lágrimas correram..ao ver o desfecho destes livros, preciso te enviar um email...Gosto demais dos seus escritos...
Como você mesmo disse : Meu interesse não tem preço!!!
Espero estar perdoada!!!
"
Bons amigos como você...
Sempre nos mostram a Luz nos momentos de escuridão e tempos de dificuldades!!

viva ou exista disse...

vi seu link no blog do átila siqueira


parabéns!!

deixe-me explorar com mais tempoo

muito bom o blog vou linkar ao meu

abraço e ótima quinta

Dina disse...

O pior é que eles acham que, comprando mesmo sem ler, sempre estão fazendo uma boa ação. Constrangedor é quando você vai a um lançamento e não compra o livro porque está lá fazendo uma matéria. Tinha autor que me olhava torto achando que a equipe queria era fazer uma boca livre. Daí comecei a comprar livros mesmo estando a trabalho - e nem lia.

BAR DO BARDO disse...

bons textos. experiências dignas...

digo sim!

betina moraes disse...

agora me atualizei!

estive muito tempo fora mas as preferências continuam as mesmas, seu blog, é uma delas!

grande abraço!