sábado, 4 de abril de 2009

margem




mutantes & permeados
pela infâmia vamos aos
limites do eixo

lá onde as
borboletas dizem sim

e nada mais importa...

nem o segredo
que revolta

nem o certo
em linhas tortas

(poema vermelho - lau siqueira)

ANTONIO CICERO
Uma noticia ótima para a toda a Nação Paraíba e arredores. No próximo dia 23 de abril o poeta Antônio Cícero dará duas conferências, como convidado do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFPB. Pela manhã, as 09h, no Auditório 411, ele estará proferindo a conferência “O que é poesia?”. No mesmo dia, às 16h ele terá um encontro com professores e estudantes do Programa de Pós-Graduação em Filosofia, com o tema “O conceito de natureza humana.” Imperdível!

GULLAR NA BRAVO
O poeta Ferreira Gullar deu uma entrevista na Bravo que vale a pena ser conferida pelos que curtem e pelos que não curtem o maranhense José Ribamar Ferreira. Veja uma palhinha: “Uma parcela da crítica sustenta que você é o maior poeta brasileiro vivo. É mesmo? Imagine! E como se mede o tamanho de um poeta?, já perguntava Carlos Drummond de Andrade. Que régua consegue dimensionar um negócio desses? Claro que, quando escuto uma avaliação do gênero, me envaideço. Mas não me iludo. Cada poeta, vivo ou morto, é inigualável. O João Cabral, o próprio Drummond, o Vinicius de Moraes, o Mário Quintana nos transmitiram um legado riquíssimo. São inventores de um universo muito pessoal e insubstituível. Sem mencionar o Murilo Mendes, autor de pérolas tão lindas quanto "A mulher do fim do mundo/ Chama a luz com um assobio". “ Veja aqui o link da entrevista inteira!

POEMA DE MARCIA MAIA


Se é dia
Espero a luz suavizar seu brilho
Recolho-me

Se é noite
Abro as janelas à lua
E as estrelas forçam-me a cama

: céu às avessas.

(rotação, um belo poema de Márcia Maia. Do seu livro “um tolo desejo azul”, que tive o enorme privilégio de prefaciar)

SOBRE MÁRCIA MAIA
Conheci a poeta Márcia Maia há alguns anos, numa comunidade que, literalmente, era a katarse. Fiquei amigo da sua poesia. Mas, logo em seguida saí da comunidade. Anos depois ficamos amigos de pele, osso e coração. Em 2002 ela veio de Recife (e o poeta Antoniel Campos, de Natal) para o lançamento do meu Sem meias palavras. De lá para cá tenho assistido de forma privilegiada o crescimento da poeta Márcia Maia na sua forma tão singular de esculpir o significado das palavras. Somos amigos! Visitamo-nos sempre que possível. Médica por missão (ela é pediatra) e poeta por profissão. Márcia Maia trata as palavras como trata as crianças que atende. E com a certeza que as palavras são sempre crianças. Dependendo do tratamento dado, terão significado - ou não - diante do mundo. Porque o mundo é das palavras...

9 comentários:

mariza disse...

é tão bom encontrar sua poesia, Lau. e é tão bom, também, ver minha gêmela Márcia Maia em suas linhas.
me pergunto, muitas vezes, por que temos conversado tão pouco. ê vida.

beijo e saudades.

Márcia disse...

Ah, Lau, só você mesmo pra me emocionar desse jeito!
De tudo, o melhor é poder dizer, como você, somos amigos!, e sabe que tudo está dito aí por inteiro.
Obrigada, viu? E um buquê azul de beijos.

Gerusa Leal disse...

a margem habita o poeta, o poeta habita à margem e à parte os tolos desejos de azul, boa poesia sempre faz bem, ainda mais num domingo nublado
parabéns, Lau, parabéns Márcia, beijos borboleteantes e tolos como convém

André disse...

Lau e Márcia, vocês dois respondem pelo que há de mais sincero na poesia, ou seja, ponte entre vida e obra, ou uma forma de tornar este mundo mais suportável através da arte da palavra. Márcia é amiga que só me deixa mais grato à vida. Você, pela caminhada e pelo exílio em que forçosamente estamos nesta navilouca que é este mundinho. Ambos, enfim, são heranças que vou levar sempre no meu coração. Poesia para nós!

Mirse disse...

Lau, Lindo o poema Margem!
Dá margem à várias reflexões! Por acaso a lagartinha sobre o livro na foto, é sinal que a borboleta ou o livro está para nascer? Se for, avise-me!!
Márcia Maia é poeta de primaira como você. Bom essa contemporaneidade entre os dois!

Um forte abraço

Mirse

Rona Monte disse...

Sorte a minha, que sou amigo dos dois. Rona.

Criar disse...

Muito bom passar aquí e ler o que você escreve.
Adoro sua poesia!

Thalita

Adriana disse...

Lau, teu poema é uma delícia. A Máricia Maia, concordo, é bastante talentosa.
abç

Antzella disse...

Um dia aberto aos sorrisos de todas as memórias.

Bom contar estrelas,Lau!

besos.