quinta-feira, 18 de junho de 2009

cobaia



não existem feridas
que não cicatrizem

mas a marca funda
de um olhar amargo

dói como a dor de
um bicho esmagado

(poema do meu primeiro livro, O Comício das Veias – Ed. Idéia-PB, 1993 – que será republicado do Livro da Tribo 2010)

OFICINA DE CRIAÇÃO POETICA
Certamente o poeta gaúcho Ronald Augusto
é dos mais contundentes da cena contemporânea brasileira. Se você mora em Porto Alegre (ou arredores) não pode perder de vista a oficina que será ministrada pelo Ronald. Na verdade é um verdadeiro curso de criação poética. Vai de 2 de julho até 3 de setembro. Maiores informações, aqui.

LIVRO DA TRIBO
Assinei hoje a autorização para que oito poemas e quatro textos de rodapé sejam incluídos no Livro da Tribo 2010. Há mais de dez anos publico poemas neste veículo e tenho colhido vários bons frutos. Por exemplo, meu terceiro livro, Sem meias palavras, foi publicado com recursos provenientes do direito autoral que recebi da Editora Tribo. Eles pagam esses direitos em exemplares que, pelos cuidados gráficos, possuem um forte apelo comercial. Principalmente entre o público jovem. Vendi as agendas e em três dias estava com a grana para a publicação. Já contei essa história 358 vezes, mas adoro sempre contar de novo.

LEITORES E LEITORAS
O poeta Frederico Barbosa contou que estava selecionando poetas para a antologia “Na virada do século – poesia de invenção no Brasil
, pela Editora Landy-SP (2002) e surpreendeu-se com seus alunos lendo meus poemas em sala de aula. Os alunos e alunas conheciam meus poemas das páginas do Livro da Tribo e da internet, apenas. Fred destaca esse fato no posfácio do meu livro. Tenho um imenso orgulho disso, já que nunca tive meus livros distribuídos nacionalmente. (Esse papo já ta qualquer coisa. Contei isso 435 vezes)

POETA MARGILAU
Na verdade, minha história na literatura sempre foi bastante singular em termos de publicação. Nos velhos tempos da arte-correio eu publicava poemas, verbais e visuais, em aerogramas e enviava centenas pelo Brasil afora. Produzia zines, enfim... Não pensava sequer em publicar um livro naquela época. Em 1993, juntamente com Joana Belarmino (mãe das minhas filhas, com quem era casado na época), publiquei O Comício das Veias. Aí, lascou!

A REPERCUSSÃO
Surpreendeu-me quando li nos jornais uma repercussão positiva do meu primeiro lançamento. Afinal, muito pouco mostrava o meu trabalho e muito pouco, logicamente, repercutia. Depois, em 98, veio O Guardador de Sorrisos, com aquelas provocações da concretude e outros babados, meio que quebrando o nariz do meu pobre lirismo. Enfim... a lupa continua! Então, fui aprimorando a visão e, confesso, estou imensamente comovido com a possibilidade de escrever um poema ducaralho (só não sei quando).

UM POEMA DE PEDRO AMÉRICO

arrombou cerca
abriu porteira
apurou ouvido
liberou fala
assobiou gemido
lavrou palavra
e foi embora
mostrando a língua

Recebi hoje o livro e o CD do poeta pernambucano e amigo querido, Pedro Américo. Uma edição de primeiro mundo. Fuga é o título do poema acima, que integra a edição de Linguaraz. Espero em breve estar tramando o lançamento deste livro aqui na doce e selvagem capital da Paraíba.

7 comentários:

BAR DO BARDO disse...

lau, suas experiências são estimulantes aos que pretendem...

um poema duca? já li diversos deles aqui mesmo.

sim!!!

Ricardo Mainieri disse...

Lau, estou contigo nesta Agenda da Tribo.
Bom saber, também, que teu livro esgotado(ou parte dele)vai estar lá também.
Este teu poema postado pode-se chamar de "ducaralho", tenho total identidade com ele.
E quanto ao Ronald(Tutuca para os íntimos) é um grande poeta iconoclasta, além de crítico aliado à contemporaneidade(espero uma crítica de meu livro-solo por parte dele).

Como vc. diz Há braços.

Ricardo Mainieri

Juliana Meira disse...

oi Lau,

chego em teu espaço através do comentário que deixou no blog do Alexandre Brito. grata!

"poesia sim"!!

abraço

Mirse disse...

Muito lindo, Lau!

Chega a doer!

Poesia SIM!

Beijos

Mirse

Michelle Crístal disse...

Esses são os que dói no âmago!

blog espiatório disse...

oi, poeta - estamos juntos outra vez na agenda da tribo! isso é um luxo para mim!!
besos
líria porto

Isabella Nucci disse...

Quando entro no seu blog, não parece que estou lendo suas poesias; mas parece que são elas que estão me lendo...
Adoro!