terça-feira, 22 de setembro de 2009

oração primeira



era o tempo
em que o minuano
encontrava poucos
alambrados sobre
o pampa

o limite
era a vastidão

- sesmaria
e sangue
na história

então foram
passeando os dias
e as noites de
vigília

coração farrapo

nasci acreditando
na sede libertária

na mão que ampara

(amem)

(lau siqueira – poema vermelho)

20 DE SETEMBRO
Lembro de como era a chegada do dia 20 de setembro, na minha casa, em Jaguarão. Meu pai paramentado, com as vestes históricas do povo gaúcho, campeiro e guerreiro. O cavalo tordilho, bem tratado, saindo da cocheira para a avenida, onde meu pai desfilava em cavalgada com seus companheiros do Centro de Tradições Gaúchas. Os CTGs são entidades criadas logo após o final da Segunda Guerra, em razão da resistência gaúcha ao americanalhismo cultural. Os americanos invadiram as Américas com sua poderosa máquina de mídia (triunfalista) e com o financiamento de déspotas assassinos para os países onde a organização popular estivesse tomando corpo. O povo latino sustentou-se na sua cultura!

CTG E LUTA DE CLASSES
Os CTGs também guardam o espírito Farroupilha. Os Farrapos fizeram uma guerra que não era sua. A guerra era dos patrões, dos barões das charqueadas. E eles continuaram com seus espíritos andarilhos, percorrendo as planícies... numa luta sangrenta e amplamente derrotada pelos interesses burguesia rural gaúcha.
Farrapos não se misturavam com os barões e generais difusos, como Bento Gonçalves. Patrões e Peões em lugares e tempos distintos de um tempo guerreiro, mas também carregado de injustiças e misérias. Talvez por isso o Rio Grande seja, ao mesmo tempo, o berço do General Médice e de Luiz Carlos Prestes.

SER GAÚCHO
Depois de 24 anos residindo no Nordeste, ser gaúcho, pra mim, tem um sabor cosmopolita. É não ser estrangeiro em lugar nenhum, como dizia o pajador argentino Athaualpa Yupanchi. Isso porque nascemos em países e línguas diferentes, mas com uma só cultura. Se toma chimarrão no Uruguay, na Argentina e no Brasil. Lembrei hoje que estamos na Semana Farroupilha e que o meu Grande Rio do Sul trabalha a sua memória. Dia desses será 27 de Janeiro, data que nomeia a principal avenida da cidade onde nasci, a bela e histórica Jaguarão. Então... boa Semana Farroupilha para nosotros.

O BLOG DE WÂNIA
Não a conheço. No entanto ela está aqui, seguindo o Poesia Sim. Escreveu um poema lindo que diz muito melhor tudo isso que tentei acima. Um poema cheio de uma suavidade visceral. Um encontro de linguagem e memória. Um tradicional grito pampeano num engajamento contemporâneo... sobretudo lírico. Lindo! Visite: http://encantaventos.blogspot.com/2009/09/perdao.html

2 comentários:

Nani disse...

vovô era um grande guerreiro com um coração enorme. me lembrei daquelas fotos, vovô com as roupas tradicionais gaúchas! eu achava, e ainda acho, lindo! beijim, papi!

Wania disse...

Lau querido!

Desculpe toda a demora em retornar a tua casa, mas hoje resolvi ver porque estavas a tanto tempo sem postar nada e para a minha surpresa tens postado quase que regularmente.

No meu sidebar, na lista dos meus blog preferidos está o teu desde que me tornei tua seguidora, mas o teu blog nunca me mostra as atualizações que tu fazes, hoje mesmo dizia em baixo do POESIA SIM 4 meses atrás...pode??? Será que só acontece comigo?

Bem, agora estou recuperando o prejuízo e enquanto me deliciava com os teus escritos que perdi, vejo esta agradável surpresa: meu singelo blog tão bem citado por ti.

Agradeço do fundo do coração o teu reconhecimento e, vindo de ti que transborda sensibilidade poética é um elogio de valor inestimado para mim!

OLha, não é do meu fetio não agradecer uma gentileza desta em tempo hábil(pelo menos), mas antes tarde do que nunca!!!!

Bjão e mais uma vez obrigada!
Com carinho,
Wania