Translate

sábado, 24 de outubro de 2009

caminho luminoso




para nosotros
uma vida bem pequena

e um grande e luminoso
........................caminho

um lugar onde
andando é que se fica

e o que chega
permanece andando

até que os pés em ruínas

......................virem asas

(lau siqueira – poema vermelho)

JOSÉ SARAMAGO
“Não há diferença entre a escrita de um blog e a escrita literária", afirmou recentemente o escritor português José Saramago ao jornal Folha de São Paulo. E conclui: “Creio que para o público é indiferente esse debate. Querem ler coisas de qualidade e idéias." Claro que aqui enxuguei a resposta desse menino de 87 anos, ligado nas coisas do seu tempo. Saramago possui um blog, já divulgado por aqui. Confira!
http://cuaderno.josesaramago.org/

JOSÉ SARAMAGO I
Um clássico contemporâneo. Poderíamos definir assim o escritor português. Com suas provocações e sua coragem estética, Saramago poderia muito bem ir dormir em paz todos os dias. Mas, ele sabe também das suas responsabilidades e não cala diante da ameaça ao mundo que certas lideranças políticas representam. Por isso não cansa de denunciar o fascismo do primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi.

LITERATURA E POLÍTICA
Geralmente a escrita panfletária é de baixa qualidade. Esta é uma verdade, por enquanto, inabalável. No entanto a presença de grandes escritores na política nunca foi novidade. Drummond era do Partido Comunista, assim como Ferreira Gullar. Graciliano Ramos foi prefeito de Palmeira dos Índios(AL), Menotti Del Pichia, foi deputado. Mário de Andrade foi o primeiro gestor de cultura do país. O comunista Saramago não poupa os inimigos da raça humana. Certamente que as idéias influenciam a escrita, mas a política não determina a qualidade da literatura. Ezra Pound escorregou e aderiu o fascismo de Mussolini. E ainda há quem questione esse direito aos artistas e intelectuais.

POETAS DO FASCISMO?
Aqui em João Pessoa mora um poeta que, quando a direita governava a cidade era um ser silencioso. Agora resolveu combater a gestão cultural empunhando a idéia mofada e reacionária da impossibilidade de artista exercer cargo público e exercitar politicamente sua cidadania. Recentemente, na II Conferência de Cultura, este poeta (cujo nome não vale citação) cometeu deselegâncias e injustiças públicas contra o cantor e poeta Chico Cesar, presidente da Fundação Cultural de João Pessoa – FUNJOPE. Foi desmentido imediatamente, ainda bem. Será que a poesia também possui seus Berlusconis? Logicamente que sem a genialidade de um inventor, como Pound.

O QUE É POESIA?
São 45 poetas brasileiros, portugueses e hispano-americanos que respondem esta pergunta num livro cuja edição foi organizada pelo poeta Edson Cruz. Um documento importante da cena poética contemporânea, um livro imprescindível. Já nas livrarias! Leia mais a respeito no site da Editora Confraria do Vento, http://www.confrariadovento.com/editora/livro21.htm

ANTOLOGIA SONORA DA POESIA PARAIBANA
Eis os poetas: Águia Mendes, André Ricardo Aguiar, Angélica Lúcio, Antônio Mariano, Astier Basílio, Bila, Bráulio Tavares, Chico César, Chico Lino Filho, Edônio Alves do Nascimento, Fidélia Cassandra, Hildeberto Barbosa Filho, Irene Dias Cavalcante, Jomar Morais Souto, José Antônio Assunção, José Nêumanne Pinto, Linaldo Guedes, Lúcio Lins, Marcos Tavares, Paulo Sérgio Vieira, Pedro Osmar, Políbio Alves, Ronaldo Monte, Saulo Mendonça, Sérgio de Castro Pinto, Terezinha Fialho, Valquíria Lins, Vanildo Brito e Vitória Lima. A apresentação do CD é minha. O lançamento foi ontem, sexta, no Sebo Cultural em João Pessoa. Convidado, preferi não participar. Sou um péssimo leitor dos meus poemas.

A POESIA MUSICAL DE ZEH ROCHA

Do caos
nada flui assim
alma cigana andaluza
que vê além
do céu que cruza
mago queribim
voz tribal que avança
Page e mandarim

A voz é linha crua
tece rima o mote
blues baião e xote
na renda da cantoria
verso com sabedoria
serpenteia a presa nua
na hora mortal do bote

Xamã! A loa eé feito imã
espada de raio laser
afasta o mal sem fim
xamã! Jardineiro das orquídeas
guardião do amanhecer
apronta mais uma pra nós
apronta mais uma pro mundo merecer

Canto de palo seco
desafio meu repente
magia talismã
som de patuá
a boca é um tambor
batuca a mão no peito
improviso na levada

Fagulha ligeira
pedra de amolar
xamã

(Xamã, poema que é, também, letra de música (um bom debate, aliás). O autor é o pernambucano Zeh Rocha, amigo e parceiro, Lenine. Juntamente com Zeh Rocha e Cláudio Noah, a atriz Suzy Lopes e a poeta Renálide de Carvalho, participei ontem de um momento lindo do Aldeia SESC, lendo poemas, ouvindo poemas e boa música diante de uma platéia atenta e lotada. No final, dançamos ciranda.)

4 comentários:

Adair Carvalhais Júnior disse...

Belo poema, Lau.

um abraço

Luyse disse...

Gosto de chover e voar ctg, Griô.
{:

Unknown disse...

Xamã, é um poema de Zeh Rocha com musica e melodia de Lulu Oliveira, musicado,arranjado e cantado pelo próprio Lulu Oliveira no CD TEAR de Zeh Rocha.

Unknown disse...

Xamã, é um poema de Zeh Rocha com melodia e musica de Lulu Oliveira, ou seja: Letra de Zeh Rocha, musica de Lulu Oliveira.
No CD TEAR de Zeh Rocha, produzido por Lulu Oliveira,
este poema foi musicado, arranjado e interpretado pelo próprio Lulu Oliveira.