conceito



não alongo
poemas

penas curto

no máximo
s u r t o


(lausiqueira – poema vermelho)

NOVA CONSCIÊNCIA
Acabo de ler um e-mail do poeta Bruno Gaudêncio convidando para um evento literário que será realizado no Encontro da Nova Consciência, em Campina Grande-PB. Infelizmente, a data coincide com uma viagem minha para Goiás. Mas, para quem estiver por perto de Campina Grande nos dias 14 e 15 de fevereiro, eu recomendo. Na verdade, eu participaria de uma mesa sobre literatura e novas mídias. Vem aí, também, a Festa Literária de Boqueirão-PB. Coisas boas acontecendo pela Paraíba afora, Anunciam também uma Bienal Internacional do Livro. Adelante!

conclusivo


a saída
é a melhor
chegada e

a vida vale
por isso
mais nada


(lau siqueira, poema vermelho)

POEMAS CONVERSADOS
Os poemas vermelhos deste post nasceram durante uma conversa virtual com a excelente poeta e professora de literatura, Susannah Busato. Alguns foram aqui levemente burilados, mas a maioria segue intacto como fala do nosso bate-papo. Conheça o blog de Susannah Busato, http://www.meupapelderiscos.blogspot.com/

sublimação

imensidões
da devassidão
e da virtude )

vestido na pele
do nada


despido
pelo vazio

(lau siqueira, poema vermelho)

POESIA ALHEIA
Começou a série “Diálogos” no blog do poeta Ricardo Silvestrin. Confira o papo com o poeta Nei Duclós: http://silvestrin.blogspot.com/2010/01/serie-dialogos-ricardo-silvestrin-e-nei.html

pensaminto

o amor é um
gesto no espelho
orvalhado da ternura

) nitro
glicerina
pura


(lau siqueira, poema vermelho)

MÁRIO QUINTANA
“Poesia não é a gente tentar em vão trepar pelas paredes, como se vê em tanto louco por aí: poesia é trepar mesmo pelas paredes.” (Do livro Na Volta da Esquina, coleções RBS. Editora Globo)

UM POEMA DE MIRÓ
Recife
Cidade das pontes
E das fontes de miséria
Poetas mendigando passes
Pra voltar pra casa
E sua poesia passando despercebida
Aliás,
Nem passa.

(Marginal Recife, poema de Miró. Da coletânea poética Marginal Recife, publicada pela Fundação de Cultura cidade do Recife.)

Comentários

fiz poema pra você.
Lau minski
dadina disse…
Lau é um dos melhores...
é preciso que isto seja dito?
não! basta ler Lau siqueira.
abraços.
Cosmunicando disse…
Lau,
gosto do modo como faz seus posts construindo conexões... e claro, sobretudo da sua poesia.
Batom e poesias disse…
Passei para matar a saudade e desejar ótimo ano procê!

Sem me alongar, curti.
bjs

Rossana
Analuka disse…
Querido Lau, estava aqui lendo e curtindo teus poemas curtos, e pensando num tão longo que escrevi ontem, pensando que preciso aprender a arte de ser suscinta!... Aprecio tua capacidade de colocar um mundo, um cosmos, um universo em algumas letras! Beijos alados e azuis, e votos de um ano pleno, intenso e inspirado!!!
susannah disse…
Uma delícia papear com vc! Sempre! O seu "conclusivo" me toca e é para guardar na bolsa ou no bolsinho da calça, escrever na agenda, colocar no porta-retrato. Somente a poesia para nos resgatar de nós mesmos, não é Lau? O poeta é mesmo um perdido, que se resgata sempre, pois sempre se perde no caos de si mesmo. Uma fênix vivendo a sina de Prometeu. (!!) Melhor assim, do que viver com os olhos grudados na tv diária dos insanos, que, como os versos de nosso amigo e querido poeta Frederico Barbosa assinalam, frente a tv "a vida pelo ralo / desperdício de ser".

Bjs!

Postagens mais visitadas deste blog