devassidown


azul de oceania
infinito & invisível
))))(((())))(((())))(
somente a arte nos
salvará do abismo
))))(((())))(((())))(
somente o abismo
nos preservará da
memória

(Esse pequeno poema já foi maior. Está em fase de crescimento, por isso encolheu. Todo poema é a possibilidade de transformar o próprio poema. O problema é que nem sempre arde. Lau Siqueira)

JORGE LUIZ BORGES
“Tenho para mim que sou essencialmente um leitor. Como sabem, eu me aventurei na escrita; mas acho que o que li é muito mais importante que o que escrevi. Pois a pessoa lê o que gosta – porém não escreve o que gostaria de escrever, e sim o que é capaz de escrever.” (Em Esse Ofício do Verso – 6, O credo de um poeta)

fragmentes

berros de olhar
ecoados no espelho

os dias passam
sem que a vida
.................devolva

nenhum
dos pedaços

(do blog Poesia é Risco. Aliás, outro poema que sofreu uma intervenção inevitável)

A PEDAGOGIA DA LEITURA
Jorge Luiz Borges ratifica a idéia da leitura com um papel preponderante na formação cidadã. Lembro que Antônio Cândido também já disse que a literatura deveria ser um dos direitos humanos. As escolas deveriam insistir... todo mundo deveria ler mais e melhor. Inclusive eu.

hay no


sentimento infame
diga que me ama porra
antes que eu te ame


(lau siqueira)

PAULO RÓ
Paulo Ró é um músico brasileiro, para quem não o conhece. Um cara com quem trabalhei uns três anos, mais ou menos. Um dia chegou e disse: “Musiquei uns poemas do teu livro.” E eu: “Quantos?” Então ele arrematou: “Uns dez.” E eu: “Bahhh!”
Camarada maneiro, bom papo, bom companheiro. Músico que navega nas correntes da vanguarda, desenvolve uma proposta minimalista, mas sem abrir mão dos ritmos enraizados na cultura popular nordestina. Das Cambindas de Lucena aos acordes despertos de Al Dimeola, fez mestrado em dadaísmo na Universidade Livre do Jaguaribe Carne (uma importante vertente da música experimental brasileira), Paulo Ró vem construindo uma obra que precisa ser desvendada.

POEMA DE PAULO RÓ


Falar eu posso
Falar eu posso
Falar eu posso
só não posso é falar

(Esta pérola eu catei divinamente em algum Orkut do mano Pedro Osmar. Na verdade é uma letra de uma das primeiras músicas de Paulo Ró, do início dos anos 80. Um poeta da música ou um músico da poesia – que seja.)

Comentários

Antonio disse…
Oi. Gosto muito de alguns de seus poemas. Este em particularmente confesso que não entendi a última parte. "O abismo nos preservará da memória". É uma sentença forte, mas viajei.

Se importa em tecer algumas palavras sobre ela, por favor?

Abraço.
Antonio disse…
"particularmente" -> particular
Simonetta disse…
Lau,
ganhei um livro da rosa montero,
a louca da casa, comecei a ler mas minha filha se adiantou e foi até o fim... e agora estou no 2° capítulo. estavamos outro dia deitadas sobre a grama, no nosso campo, e ela me repassou uma pergunta drástica da rosa: se você tivesse que escolher entre escrever e ler, o que escolheria? respondi na hora: ler.
depois te conto o resto.
hoje, ao te ler, reafirmo: ler!
Fábio Cezar disse…
Parabéns pelo trabalho de qualidade e beleza! Um abraço. PS.: Visite o De Lírios & Lirismo em fabiocezar.blogspot.com
Fábio Cezar
dadina disse…
para algumas poesias, a compreensão se torna particular.
lau siqueira disse…
Antônio, "O abismo nos preservará da memória" quer dizer exatamente "O abismo nos preservará da memória". rsrsrs... simonetta, gracias. Apareça sempre. Fábio, te devo uma visita mais generosa. Tou já indo lá. Davina, vc é linda! Fui!
Analuka disse…
Gostei muito do poema em transformação, que estava crescendo e encolheu! De minha parte, percebi que os poemas só surgem quando estou "febril" ou demasiado melancólica, ou, digamos, em períodos específicos, de emoções intensas, turbilhão, transformação... Aí, verte a seiva poética, em forma de letra, às vezes até mais do que nas telas e tintas... Beijos alados, e um ano pleno de luz, azul e poesia para ti, amigo querido.
fernanda barreto disse…
aqui é muito aconchegante e fresquinho.
voltarei sempre, sempre =)
orides disse…
Grande poeta, parabens cada vez melhor seu trabalho, te espero la no blog deste aprendiz de feiticeiro.

www.oridespoeta.blogspot.com
Dell Azevedo disse…
Lindo diálogos do espanto!! parabéns!!

Postagens mais visitadas deste blog