segunda-feira, 28 de junho de 2010

SENHA





ela tinha um rio de seda no abraço


(poema do livro Texto Sentido - lau siqueira)


UMA FRASE, UMA IDÉIA...
“Uma das coisas que quase todo mundo conhece, mas não sabe muito bem como demonstrar é que a política de um país reflete o modelo de sua cultura.” (Clifford Geertz, em “a Interpretação das Culturas”)


JOSÉ ALTINO
Um dos artistas mais significativos da Paraíba e, certamente, do Brasil é o camarada José Altino. Vale o impulso de conhecer seu blog, “Xilogravuras Para Todos”, http://xilogravurasparatodos.blogspot.com/


RODRIGO DE SOUSA LEÃO
No próximo dia 2 de julho fará um ano da morte prematura do amigo poeta Rodrigo de Sousa Leão. Nesta data, porém, ele estará mais vivo que muitos poetas que gastam o tempo com intrigas e invejas salobras. Será lançado, às 19 horas, na Livraria Museu da República, localizada na Rua do Catete, 153, no Rio de Janeiro, o livro póstumo “Me roubaram uns dia contados”, pela Editora Record. Conheça um pouco de Rodrigo de Sousa Leão no site www.rodrigodesouzaleao.com.br


O PRAZER DE LER LEMINSKI
A leitura de poemas é sempre uma experiência arrebatadora para quem ama poesia enquanto gênero literário e modo de vida. Logicamente que falo de bons poemas e bons poetas. Como o imortal Paulo Leminski. Um poeta que soube traduzir em palavras a poesia que todo dia nos escapa pelos dedos, como os fiapos de luz e sombra. Quem lê Paulo Leminski, jamais fica impune, indiferente. O impacto é certeiro. Por isso, nesta edição do Poesia Sim, dedico um poema (que considero genial) de Leminski aos atentos leitores do Poesia Sim e transcrevo um poema que escrevi em homenagem ao poeta curitibano, publicado no meu quarto livro, Texto Sentido.


O MEU POEMA PARA LEMINSKI




passo pelo mundo
ancorado numa coragem
que desconheço


sei lá de que lado está
meu avesso


(leminskiagem, poema que escrevi em homenagem ao poeta Paulo Leminski).




UM POEMA DE PAULO LEMINSKI






na torre da igreja
o passarinho pausa
pousa assim feito pousasse
o efeito na causa


(poemas do livro Distraídos Venceremos, de Paulo Leminski, Editora Brasiliense)

5 comentários:

nydia bonetti disse...

há que celebrar os poetas - inclusive este, que criou esta "senha" - que beleza, lau. abços.

Luciana Marinho disse...

que bonito visual!
assim que o link do poesia sim abriu, pensei "ué.. cliquei no link errado!". haha foi uma desautomatização!
e que bom saber do lançamento do livro de rodrigo.

abraço!

susannah disse...

Adorei a cara nova, colorida, festiva, dominada pelo alaranjado e amarelo e vermelho desses livros sorridentes aí atrás de vc, ou vc estaria na frente deles, escrevendo na tela como na tal máquina de escrever, sobre a mesa de madeira grossa, suada e abarrotada de tudo? De quantas cores se faz um poeta? De quantas linhas? De quantas escolhas? De quantos avessos? De quantos portos e corpos? Com quantos blogs se faz um poeta? Com quantos logins se costura um poeta à beira da tela? Um poeta se costura? É ele que me vem com a linha para eu seguir em frente arrumando caminho? Ou é ele que me guia enquanto eu laço por minha conta e risco o trajeto que alcanço? Um poeta é a linha ou a agulha?

Bjs!
Saudades dos papos.

Isabella Nucci disse...

Adorei o novo visual do seu blog e o poema Senha.
Abraço!

LEANDRO LUZ disse...

Que fascínio tenho pelos que sintetizam...
só a síntese é imortal
adoaria uma visita sua
www.escorpiaodesois.blogspot.com