Translate

domingo, 4 de julho de 2010

figos maduros




...................................ai de mim
com esta figueira crescendo dentro
sem saber direito o momento da poda
ou da colheita



.........................ai de mim
que não entendo de árvores
e não compreendo o que dizem
........................o que fazem



como agem na hora do corte
e depois
na transcendência das figueiras



..........não sei da casca
..........grossa no caule leitoso
..........que com o tempo será
..........fibra impermeável



....................................ai de mim
que percorro a mansidão invisível
como um galo cumprindo o ofício
.............................das manhãs

 

(poema do livro Texto Sentido – lau siqueira)

ROMAN JAKOBSON
Os formalistas russos não reconheciam as análises extraliterárias do texto. Também por isso o movimento foi brutalmente extinto pelo regime bolchevique, com a miserável alegação de se tratar de um “desvio ideológico”. Roman Jakobson foi um dos nomes mais conhecidos do formalismo russo e escreveu uma das obras imprescindíveis para as estantes dos poetas do mundo: “A geração que esbanjou seus poetas”, traduzido por Sônia Regina Martins Gonçalves e publicado no Brasil pela CosacNaify. Vai a dica.



ABELARDO DA HORA
O pernambucano Abelardo da Hora está expondo na Estação Ciência Cultura e Artes, em João Pessoa-PB. Certamente que se trata de uma das mais importantes exposições já recebidas  pela Paraíba em todos os tempos. Usando as mais diversas técnicas (esculturas em cimento polido, bronze, terracota, pinturas em nanquim, etc.), Abelardo extrapolou os limites entre a arte e a condição humana. Certamente  se trata de um prazer estético que as pessoas de bom senso não haverão de querer desperdiçar. A visitação começa às 10:30h e termina às 22h, com exceção das segundas-feiras.



CAUSA OPERÁRIA
Minha amiga Lourdes Sarmento (mais uma vez) é candidata a governadora da Paraíba pelo Partido da Causa Operária, o lendário PCO. Toda vez que me encontra na rua, Sarmento me oferece (e vende) um jornal do partido. Apesar de não ser trotskista e nem comungar com a tal ditadura do proletariado (prefiro a democracia do proletariado) compro sempre com muito gosto esse jornal da militância trotskista. Trotsky representava a face intelectual e artística da Revolução Russa. Talvez por isso o Jornal da Causa Operária possua um caderno de cultura bastante consistente. Este último número apresenta seis páginas sobre o poeta Aimé Césaire, da Martinica.



AIMÉ CÉSAIRE
Representante da poesia negra surrealista, o poeta aparece entre os nomes mais representativos da poesia caribenha do século XX. Aimé foi fundador do grupo Negritude e lançou as bases do mais influente movimento internacional da literatura negra, ao lado de nomes bem conhecidos como o cubano Nicolas Guillen. Militante do Partido Comunista, Aimé dizia: “As correntes que prendem o homem negro não são correntes ordinárias: são correntes interiores, correntes psicológicas...”



POEMA DE AIMÉ CÉSAIRE



com todas as forças o sol e a lua entrechocam
as estrelas caem como testemunhas maduríssimas
e como um carregamento de ratos acinzentados



não tema nada aponta as tuas grossas águas
que tão bem carregam a bruma dos espelhos



puseram barro nos meus olhos
e veja eu vejo terrivelmente eu vejo
de todas as montanhas de todas as ilhas
não resta mais nada a não ser alguns tocos ruins
da impenitente saliva do mar

(entre outros massacres, poema de Aimé Césaire – tradução de Leo Gonçalves. Jornal da Causa Operária, número 593, junho de 2010)

5 comentários:

Luciana Marinho disse...

o meu preferido na beleza dos sentimentos.

especialmente por esses versos:

"ai de mim
que não entendo de árvores
e não compreendo o que dizem
........................o que fazem

como agem na hora do corte
e depois
na transcendência das figueiras"

bjo!

Márcia Maia disse...

eu só perco quando passo muito tempo sem vir aqui.

1 beijo de saudade, lau.

Anônimo disse...

Painho, tu é um professor nas horas vagas... rs :)
Ass. Fióta

Grispino disse...

Olá! Estamos te seguindo e gostaria de te convidar para nos seguir também! Parabens pelos seus textos! Conheça o nosso trabalho também! Abraços!

Anônimo disse...

É sim, Lau? Bj, Adriana Zapparoli