escudo







eras uma rua dentro
de um rio


e eu aprendiz de
luzes e sombras


(pausa)


viver é frágil


como criança que
acorda com medo
do escuro


(poema inédito – lau siqueira)


POESIA REPRIMIDA
A poeta Telma Scherer estava realizando uma performance ontem na Feira do Livro de Porto Alegre quando foi surpreendida pela Brigada Militar e levada para a delegacia mais próxima. O motivo? A queixa de alguns expositores porque a performance de Telma estava chamando a atenção de muitas pessoas e atrapalhando a circulação na Feira. Um absurdo que precisa ser repudiado pelas pessoas que fazem cultura no Brasil. Assista aqui uma performance de Telma http://rederelacoeslivres.wordpress.com/2010/11/13/4033/ E aqui leia a notícia do absurdo provocado por expositores da Feira e por brigadianos truculentos http://www.radioguaiba.com.br/Noticias/?Noticia=221522


CALDO CULTURAL
Para quem mora em João Pessoa ou arredores, aqui vai uma dica bacana. Na próxima sexta, às 18 horas, estará acontecendo mais um Caldinho Cultural do EPSI (Espaço Psicanalítico). Desta vez teremos o Professor e pesquisador Carmélio Reynaldo, a pesquisadora Nara Limeira, o compositor Adeildo Vieira e Penha Cirandeira. O Caldinho Cultural é um momento sublime da cidade, com uma roda de conversa sobre a vida intelectual da cidade seguida de um caldinho de dar água na boca. Endereço do EPSI: Rua Nevinha Cavalcante, 46 – Miramar. Tel.: 3225-6070. Site: www.epsi.com.br.


TV CULTURA AQUI
Assista um vídeo da produtora independente Fronteira Filmes gravado na Biblioteca Alceu Amoroso Lima e pelas noites da Paulicéia Desvairada, com participação de Pedro Tostes, do coletivo Poesia Maloqueirista. Muito legal.  "Nessas Noites Sem Aurora" de MaicknucleaR está no site da TV CULTURA:
http://www.tvcultura.com.br/metropolis/voce/euvi/55310

POESIA SEM PELE
Depois de alguns meses estou retomando o trabalho com os poemas do que poderá ser meu próximo livro, Poesia Sem Pele. Partindo do zero, novamente farei uma seleção de 50 poemas, um dos quais abrindo esta edição do Poesia Sim. Espero concluí-lo até o início do ano para um provável lançamento em março.


POEMA DE AUGUST STRAMM

De todos os cantos berram temores quereres
Grite
Chicoteiem
A vida
Assim
Como
É
A arquejante morte
Os céus dilaceram
Cegos abateis selvagemente o espanto

(Melancolia, poema de August Stramm. Da antologia Poesia Expressionista Alemã, tradução de Cláudia Cavalcanti. Editora Estação Liberdade=SP)

Comentários

nydia bonetti disse…
viver é mesmo tão fragil... o poema como escudo? muito provável. abçs.

Postagens mais visitadas deste blog