Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2010
ruído d'água
no rio nascente
música dos peixes

(Em Predadores, edição Dulcinéia Catadora-SP. LS)

ESPERANÇAS PARA 2011 Meu Ano Novo começa todo dia, em cada instante, com esperanças renovadas em solidariedade e invenção. Não é bacana a luta quando o sujeito dobra os joelhos para cumprir o que está posto. Para 2011, meu desejo é que as relações que se acercam sejam mais sólidas e verdadeiras. Que as sensações vividas sejam definitivamente capazes de gerar felicidade. E que essa felicidade jamais seja egoísta. Felizes dias para o espanto e para a nobreza de estarmos vivos.
COLETIVO MUNDO Uma rapaziada super antenada, lá pelos idos de 2005, sonhou com a realização de um festival de arte independete e realizou o I Festival Mundo que já chegou á sexta edição ininterrupta. agora um site conecta essa rapaziada com o planeta Terra e seus afluentes. Confira o site e curta a extrema criatividade desta galera. Visite-os: http://coletivomundo.com.br/
BARBARA LIA A grande e querida escritora Bárbara Li…
POR QUE ESCREVO POEMAS CURTOS?


(eu
ando
em
busca
do
silên
cio)

(Do livro “O Guardador de Sorrisos”, Ed. Trema-PB, 1998 – LS)


FELIZ ANO VELHO - Não guardo queixas de 2010. Foi um ano de desbravamentos, desafios imensos e também de boas descobertas. Nos últimos dias do ano estarei encaminhando (finalmente), meu novo livro de poemas para a Editora Casa Verde. “Poesia Sem Pele” vai inaugurar a coleção Cidade Poema, projeto de Laís Chaffe. Uma alegria ímpar publicar no Rio Grande do Sul, minha terra querida mesmo estando no meu Nordeste amado há 25 anos. Um prêmio para a minha vida inteira! É assim que sinto o convite da poeta e amiga muito querida, Laís Chaffe. Eis o site da editora: http://www.casaverde.art.br/
FELIZ ANO NOVO - Vou começar o ano de 2011 com um projeto que não tem nada de novo. Na verdade, uma provocação antiga do poeta e amigo Frederico Barbosa. O desafio é selecionar 100 poemas dos meus livros anteriores e encontrar um bom caminho editorial. Este projeto, prometo, será iniciado assi…
manifesto alfabélico

(em memória de Paulo Freire)






sentir as palavras
e aprender o destino
de cada uma


comê-las com fome
de quem devora os
próprios sentidos

e depois arrancá-las
dos poros através
dos pelos

é assim...


a poesia é o começo
da linguagem

um não-lugar onde
a leitura é o derradeiro
ato da invenção

(poema vermelho – lau siqueira)

MPB – MÚSICA POÉTICA DO BRASIL Num determinado momento da nossa história muito recente a poesia tomou conta de determinado segmento da música brasileira, com um ganho espantoso para os nossos sentidos. Falo de Zeca Baleiro, Chico César, Lenine, Paulinho Moska e outros que seguiram os passos dos caras que fizeram a música brasileira ter a grandeza que tem. E agora eu falo de Lupicínio Rodrigues, Chico Buarque de Holanda, Caetano Veloso, Cartola e os habitantes da invenção como Mutantes, Arnaldo Antunes, Tom Zé, Arrigo Barnabé e Itamar Assunção. Me ocorreu isso agora e só estou escrevendo porque nestes tópicos breves do Poesia Sim escrevo o que me ocorre. Como o in…
tulipa





olhar de pássaro
em pétalas retidas


beleza que fere
e impulsiona o hálito
delicado do vento

(poema vermelho – lau siqueira)

PROVOCAÇÃO VERMELHA
Até o início do ano mantive o blog Poesia é Risco, com a artista visual Luyse Costa. Por algum bloqueio do destino demos um tempo na produção. Recentemente, nos encontramos e decidimos retomar os trabalhos. Poesia é Risco é uma provocação à criação permanente. Conversamos rapidamente, ao vivo, por telefone ou pela net e decidimos um tema. Então, escrevo um poema e ela desenha. Assim nasceram os posts que, agora, deverão retornar. A provocação de Luyse foi aceita com o poema acima, escrito neste momento, diretamente para a caixa de mensagens da moça. Conheçam o blog Poesia é Risco!

II FEIRA LITERÁRIA DE BOQUEIRÃO A Paraíba entrou definitivamente na rota dos eventos literários. Em novembro aconteceu o I Salão Internacional do Livro, em agosto, o III Agosto das Letras, tivemos ainda em novembro o I Seminário de Literatura do SESC. Agora, com a s…
leminskiagem




passo pelo mundo
ancorado numa coragem
que desconheço

sei lá de que lado está
meu avesso

(leminskiagem, poema do livro Texto Sentido. Lau Siquera)

DEZEMBRO DE 2010
Aos que calam diante das conveniências o meu mais profundo desprezo. O preço da covardia é o aço do espelho.

DIAS CONTADOS EM GOTAS DE ORVALHO
A vida vai crescendo sobre nossos ombros com sua leveza e seu imenso peso. Suas substâncias e suas influências vertidas pelos poros, pelos olhos e pelos ouvidos. A vida repara seus insultos e seus insumos, com os cotovelos no espalmar da janela.

BAILANDO COM PALAVRAS
Alguns livros que comprei no I Salão Internacional do Livro da Paraíba, ainda descançam pela sala. Esquecidos para serem vistos. Como a lagartixa que cresce por trás da geladeira e passeia pela cozinha, sem se importar com a minha atrapalhada execução sobre o teclado.

TRANSGRESSÃO ESTÉTICA
O mito é o imaginário estremecido.

POEMA DE SEVERO SARDUY


Como bailarino de teatro nô
que detém cada gesto
para mostrá-lo na cena quieta
e…