inundação




nao submeto meus silêncios aos
gritos de quem perdeu o hábito do futuro

sou como uma gota qualquer de plenitude
em um universo que escuta e permanece
mudo


(do livro Texto Sentido, Ed. Bagaço=PE, 2007 – lau siqueira)



QUE MISTÉRIO TEM CLARICE... De repente um amigo alertou e outros começaram a enviar para o meu e-mail, mensagens indicando blogs e sites onde o meu poema “Aos Predadores da Utopia” aparece apócrifo ou atribuído à Clarice Lispector. Coisas da internet, onde o fator “control c control v” ajuda a banir a autoria de algumas obras. Não é pouca a desinformação que circula on line sobre Clarice e outros autores e autoras. O mais bizarro é que meu poema foi postado como frase (alterado) e atribuído à Clarice até mesmo num blog em sua homenagem. (O que é ótimo, mas não é bom.) Assim, agradeço a atitude ética e a sensibilidade de quem corrigiu o erro.

POWER TO THE PIPOL (I) - Depois de quatro anos assinando coluna no portal Cronópios saí de cena. Ou melhor: fui deletado. O motivo foi ter ponderado sobre um protesto do editor e webmaster Pipol que não foi convidado para uma mesa sobre sites literários no FestPoa Literário. O FestPoa é um festival independente e portanto sem recursos, organizado por Fernando Ramos do jornal (também sem recursos) A Vaia, em Porto Alegre. Pipol deitou no berço esplêndido da net os seus ressentidos argumentos. Usou o portal para expor sua frustração pessoal. Segundo ele era o “Cronópios” (vejam só!) e não ele que estava magoado com o esquecimento - como se não fosse ele o guardião da senha.


POWER TO THE PIPOL (II) - Conhecendo Fernando e, até então, me julgando parceiro do Pipol entrei no debate tentando estimular o bom senso. Afinal, tanto Cronópios quando o FestPoa, penso eu, mereciam respeito. Logo o editor-webmaster (dos bons) Pipol chamou o meu argumento de “conversa mole”. Senti que o tempo poderia esquentar. Pedi que antes de faltar com o respeito, excluísse minha presença no portal. Não deu outra. O “dono da senha” excluiu minha coluna e todos os meus textos imediatamente. Seus aliados, ao invés de ajudá-lo buscar o equilíbrio, estimulavam seu bisonho exercício de poder. Aplaudiam o poderoso Pipol - que está mais para justiceiro que para injustiçado.


POWER DO THE PIPOL (IV) - Resumo da ópera: estou fora do portal. Ainda bem, pois não ficaria publicando meus textos num espaço onde sou obrigado a concordar com o “dono das pedras” ou ficar calado. Em abril, devo estrear em outro portal. Na verdade, Cronópios foi um projeto concebido e iniciado pelo poeta Edson Cruz. Foi ele quem me convidou para assinar a coluna. Estimular a literatura contemporânea é um exercício árduo para quem está na labuta diária, pagando pra ver e pra viver. Cronópios está se divorciando da cena contemporânea apenas porque seu editor-webmaster não é lembrado para os eventos literários? Por favor... mediocridade tem limite.

EVENTOS INDEPENDENTES - Com algumas exceções, logicamente, a maioria dos eventos literários não possui recursos suficientes. Nem por isso deixam de ser necessários. Este mês, por exemplo, participei de dois (um em Campina Grande e outro em Boqueirão), custeando minhas despesas e levando uma Sprinter com escritores e escritoras de João Pessoa, com apoio da FUNJOPE. Sem cachê, sem subsídios para hospedagem e alimentação, sem nada. Penso que a literatura contemporânea precisa mais de militância que de arrogância. Ainda somos bastante invisíveis dentro do milionário e concentrado mercado do livro no Brasil. Esses eventos independentes são, muitas vezes, bem mais cheios de conteúdo que certas FLIPeramagens. Basta um pouco de humildade aos que se acham grandes, para que os acordos se tornem possíveis. Não vamos permitir que a vaidade e a arrogância prevaleçam, mesmo com suas tantas e infinitas explicações - sempre tão estapafúrdias quanto desnecessárias.

POEMA DE VAMBERTO SPINELLI JR


livre comércio
atados destinos


contabilidade matéria
sem somar intestinos


(do livro Sem Lugar, do poeta paraibano Vamberto Spinelli Jr)

Comentários

Lau Siqueira disse…
Excepcionalmente, não vou publicar comentários neste post. Não quero estender uma polêmica que serve apenas para quem deseja se sustentar no cenário difícil da literatura brasileira, pela coação e pelo exercício do poder que a mídia possui. Sigamos em frente!
Lau Siqueira disse…
Este comentário foi removido pelo autor.

Postagens mais visitadas deste blog