refrão





os ventos são algazarras
do infinito
em nossos
cabelos gris




(bis)

(Poema do livro Texto Sentido – ed. Bagaço-2007 – lau siqueira)


LANÇAMENTOS EM MAIO - Coloquei no Facebook e fiquei bastante surpreso com a boa receptividade acerca dos lançamentos do meu quinto livro de poemas, em maio, pelo selo gaúcho Casa Verde. Depois deixo aqui no blog os detalhes, mas por enquanto posso dizer que na primeira quinzena de maio estarei lançando o meu Poesia Sem Pele, com prefácio de Susanna Busato, em Porto Alegre, Curitiba, São Paulo e devo lançar em João Pessoa no dia 18 de maio, durante a programação da Semana de Luta Antimanicomial. O lançamento de João Pessoa deverá fazer parte de uma programação que terá ainda Babilak Bah, Arnaldo Antunes, Giga Brown e outros artistas.

LITERATURA ON LINE - Por mais que ainda existam vozes resistentes a internet fima-se cada vez mais como um importante canal de debates literários, linguísticos e de divulgação da literatura contemporânea e mesmo dos clássicos. A cada momento descobrimos uma nova revista no ciberespaço com muito conteúdo interessante para quem acha que literatura é sempre um pouco mais.

EUTOMIA - O Departamento de Letras da Universidade Federal de Pernambuco – UFPE já está fazendo circular desde 2008 a Eutomia – revista On Line de Literatura e Linguística. Uma revista criada para fomentar o debate crítico e para abrir canais de articulação com a comunidade literária. Vale uma visita bem demorada.

MUSA RARA - O poeta Edson Cruz, mentor do site Cronópios, agora nos presenteia com um outro portal de literatura. Um projeto que, como cronópios, já nasce grande e deve entrar on line neste dia 15. Entre os colunistas, nomes como Affonso Romano Santana, Antônio Cícero, Ricardo Silvestrin e outros nomes importantes da literatura contemporânea brasileira. Esperamos que outras publicações de bom nível possam abrir espaços para a guerrilha que é escrever neste começo de milênio. Para acessar Musa Rara, acesse: www.musarara.com.br


POEMA DE CLÁUDIO DANIEL


não me aquieta
entre espectros
de palavras-coisas


anêmonas trafegam
pensamentos rotos,
roídos até o muco


- eis a era desolada
de cortes e recortes
tempo-cutelo

(Poema IV, Letra Negra. Plaquete publicada pelo selo Arqueiro Verde)

Comentários

Gi Zamai disse…
Olá! Que belo tudo aqui! Poderia me fazer uma visita ao meu humilde cantinho? Espero, abraços
gizamai.blogspot.com
Lau Siqueira disse…
Vou sim, Gi. Temnha certeza. E já já.

Postagens mais visitadas deste blog