Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011
Imagem
...
mariposas em risco
no riso da lâmpada

olhos de lua lá fora
                          ...

(poema vermelho – lau siqueira)

POESIA E LOUCURA
O vídeo abaixo foi produzido por Gilson Renato no dia 18 de maio deste ano, no pátio do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, em João Pessoa, onde aconteceu o primeiro evento paraibano do meu livro Poesia Sem Pele. Valeu a participação pulsante do Círculo dos Tambores, os depoimentos... foi uma noite de grandes emoções, de poesia, de arte, de solidariedade e de humanidade.


CAFÉ EM VERSO E PROSA
A convite da atriz Suzy Lopes, dia 5 de julho, o livro Poesia Sem Pele será o tema do tradicional sarau Café em Verso e Prosa que acontece no Empório Café, em Tambaú. Será a segunda vez que estarei participando deste evento que já conquistou seu espaço na cidade. Um bom momento para fluir boas energias.

SEM PELE EM RECIFE Em setembro estaremos lançando o Poesia Sem Pele e batendo um papo com os escritores pernambucanos e com as demais pessoas presentes na Bien…
canto híbrido





cuspi espelhos
e adagas na sede
amarga do infinito


(canções do abismo
navegando nuvens


)álibi dos arvoredos
soprados pela noite


na sangria
dos lírios...


e nas folhas que
colhem silêncios
do zinco


(lau siqueira – poema vermelho)


ANTÔNIO CÍCERO Dia 5 de maio passado, quando estava saindo da Casa de Cultura Mário Quintana, em Porto Alegre, encontrei o poeta Antônio Cícero. Tinha acabado de lançar meu livro. Ele também estava por lá oferecendo um curso de poesia. Era um daqueles dias do FestiPoa Literária. Então estirei o braço e dei um livro ao poeta que, gentil, perguntou se poderia publicar algo no seu blog. Respondi que sim e eis que vejo agora meu poema “Bizarro” publicado no “Acontecimentos”. Confira: http://antoniocicero.blogspot.com/2011/06/lau-siqueira-bizarro.html
AÍLA SAMPAIO
Também a Professora do Departamento de Letras da UNIFOR (CE) prometeu recentemente escrever uma resenha sobre os meus dois últimos livros, Texto Sentido (2007, Ed. Bagaço-PE) e Poesia Sem Pele (2011, Ed.…
Imagem
nuvem outra





viver além do verbo
exercício de poucos

extensão que migra
extermínio dos ritos

passo fora do domínio
mergulhado no ilimite

algo imerso na pele
- turvo e impreciso

(poema vermelho – lau siqueira)


FORTUNA CRÍTICA - Excepcionalmente, neste post do poesia sim, reproduzo um texto do poeta Astier Basílio sobre meu livro, Poesia Sem Pele, publicado no jornal Correio da Paraíba do dia 19/05/11.
Uma verdade poética reafirmada
Novo livro de Lau Siqueira em grande forma, como um filósofo analisando o mundo.

Astier Basílio

Quem define, sem a pretensão de definir nada, é o poeta maranhense Nauro Machado: "Ser poeta é duro e dura/ consome toda uma existência". E é por este viés, o de dedicação de sua existência, que se pode saudar o novo livro de Lau Siqueira, Poemas sem Pele (Casa Verde, 64 pgs).
Ao longo dos livros - este é o seu quinto trabalho -, Lau vai firmando o seu compromisso com sua verdade poética. De sua investigação com a disposição dos signos, seu entrechoque de sentido…