domingo, 6 de novembro de 2011

novembro





há quem não esteja atento
aos sulcos sonoros do silêncio
a vida espalha seus traços e
suas enzimas no olhar que
redime e vôa...


(poema vermelho – lau siqueira)


QUINTAS CULTURAIS – Muito bacana chegar no Centro Histórico de João Pessoa, mais propriamente na Praça Anthenor Navarro, tomar uma ceveja no Espaço Mundo e participar de uma noite de arte no Espaço de Musicultura. Valeu o convite de Talina Bandeira! Há mais de quatrocentos anos a cidade nascia exatamente ali, nas margens do Rio Sanhauá. O trabalho daquela meninada nos mostra que a cultura não sobrevive apenas dos incentivos oficiais que, são importantes, mas não representam a totalidade nem a mais animada perspectiva. As políticas de cultura devem ser fomentadoras e não executoras, prioritariamente. É o que eu penso. As coisas estão acontecendo na Nação Varadouro.


MORADAS DE ORFEU é uma antologia de poetas do sul do Brasil que foi lançada recentemente em Florianópolis pela Editora Letras Contemporâneas. Tive a generosidade de ser um dos poetas escolhidos como representante da minha terra, depois de 26 anos residindo no Nordeste. Entre os poetas da antologia, nomes conhecidos como ricardo silvestrin, Ronald Augusto, Ademir Demarchi, Ademir Assunção, Luci Collin, Diego Petrarca, Beatriz Bajo, Jussara Salazar, Ricardo Corona, Rodrigo Garcia Lopes, Sidnei Schneider, Telma Sherer e outros. O organizador da antologia é o poeta e crítico de teatro Marco Vasques.

estilo por estilo
sou mais
zuada de grilo


(terceto vermelho - lau siqueira)



CANTATA BRUTA
– Foi de arrepiar a experiência de estar no Cine Bangüê, do Espaço Cultural José Lins do Rego e assistir o concerto da Orquestra de Câmara Cidade de João Pessoa, sob regência do maestro Eli-Eri Moura, em homenagem ao multiartista W. J. solha. De arrepiar tudo que vi, ouvi e senti. Parte deste sentimento pode ser conferido em um texto que escrevi a respeito para o meu outro blog, Pele Sem Pele – www.lau-siqueira.blogspot.com . Se estiver com alguma coceirinha de curiosidade, leia o texto e exija pelo menos mais uma apresentação.


BALAIO CULTURAL – Já saiu a programação do Balaio Cultural, um evento que acontece na cidade de Boqueirão – um dos pólos culturais da Paraíba – e que terá abertura com show de Geraldo Azevedo. No dia 17, às 14h, eu e o poeta andré Ricardo Aguiar estaremos por lá, debatendo literatura. Um prazer enorme estar em uma mesa com o meu mano André Ricardo, pessoa e escritor maiúsculo. Aindo aguardo confirmação da minha presença no FLIPIPA – Festa Literária de Pipa-RN.


POEMA DE FERNANDO PESSOA


Leve, leve, muito leve,
Um vento muito leve passa,
E vai-se sempre muito leve.
E eu não sei o que penso
Nem procuro sabê-lo.


(Poema do livro Fernando Pessoa – obra poética II – Poemas de alberto Caeiro. Editora LP&M. Poema publicado originalmente na revista Atena, em 1925.)

2 comentários:

Adriana Karnal disse...

Lau,
sempre muito bom ler-te. Estou curiosíssima pelo livro dos poetas do sul.

INFETO disse...

Talvez esses "desatentos" sejam os mais felizes. abraços