Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2013
PSIU


piso macio
no silêncio

e o infinito
é imenso

(existo
logo 
penso)

(poema inédito, lau siqueira)


AUGUSTO DAS LETRAS - Na última sexta participei de uma mesa sobre Mário Quintana com o poeta mineiro Ronaldo Cagiano e com o poeta paraibano Leo Barbosa. Minha gratidão ao coordenador de literatura da FUNJOPE, amigo jornalista e poeta Carlos Aranha e ao diretor executivo daquela instituição, Maurício Burity. O Augusto das Letras marcou sua passagem com uma programação muito bem elaborada e equilibrada.

O TEMPO DA UTOPIA
...então miramos nosso lugar  no mundo e percebemos que o passado é um imenso  oco
( e às vezes um soco )
que todas as formas são movediças diante de uma paisagem sempre  sempre surreal
a estabilidade dos nossos atos é uma vocação das pedras
até que o vento imponha  suas incontáveis velocidades 
(...)
a vida é um sumidouro  onde o tempo não mede a insolvência  das horas

(poema inédito, lau siqueira)

INSTANTE ESTANTE - Por esses dias (entre os dias 8 e 10, provavelmente) deverei lançar mais um liv…