sábado, 25 de janeiro de 2014

Capa da antologia que será lançada
na Argentina em fevereiro.

BICHO DE SETE CABEÇAS – Vai ser lançado em fevereiro, em Buenos Aires, a antologia bilíngue de poesia brasileira  contemporânea “BICHO DE SIETE CABEZAS”, organizada pelo poeta e crítico uruguaio Martín Palacio Gamboa. Numa edição generosa (10 mil exemplates), poderão ser encontrados poetas como Arnaldo Antunes, Frederico Barbosa, Cláucio Willer, Rodrigo Petrônio, Donizete Galvão, Rosane Carneiro, Marcia Maia, Jussara Salazar, Virna Teixeira e outros poetas que fazem a literatura brasileira contemporânea respirar sem os aparelhos sufocantes do mercado. Meu nome também consta nesta antologia.


IDENTIDADE



sou dos que jogam
a alma no abismo para
testar a condição de voo
e de medir as distâncias
para perfilar o retorno

o sempre necessário
pouso...

na verdade de um rio
de águas correntes

um rio de águas
ausentes


(poema inédito – LS)


POEMAS QUE ESCREVI PARA CRIANÇAS – Não foi pouca a emoção quando encontrei pela primeira vez, na última sexta, na Livraria Cultura de Recife, a antologia organizada por Ruth Rocha para o Fundamental I, “Poemas que escolhi para crianças” que saiu pela Editora Salamandra (um selo da Editora Moderna) e coloca a minha poesia ao lado de grandes poetas de todos os tempos, como Frederico Barbosa, Ricardo Silvestrin, Drummond, Quintama, Vinícius, Gonsalves Dias, Fagundes Varela, Adélia Prado e até José de Anchieta, entre outros e outras.


DISSONÂNCIAS

esse abraço
que te traduz dentro
de mim

é um pouco do tanto
que eu posso e uma
água de poço olhando
pra mim

esse despertar da pele
em teus olhos e risos

é o abraço do vento
inteiro quente preciso

por isso esta poesia
de poucas notas

traduzindo o que eu
sou

para muito além
do fim

(poema inédito – LS)

POEMAS QUE VOU ESCREVER PARA CRIANÇAS – A escolha de um poema escrito e publicado em 1998 (Aos Predadores da Utopia) me fez refletir sobre o que é escrever para crianças. Na verdade, as crianças devem ter acesso ao melhor da poesia brasileira e mundial. Porque é na infância que se forma verdadeiramente o leitor. Começo a escolher entre os meus poemas já publicados ou ainda inéditos para tentar uma publicação para crianças. O poema públicado na antologia é, disparadamente, meu poema mais traduzido e mais publicado. Consta em todas as antologias das quais participei. Foi publicado no Livro da Tribo, no meu segundo livro, “O Guardador de Sorrisos” e traduzido em diversos idiomas.


CREPÚSCULO


o que me consome
não é a distância
ou mesmo qualquer
delírio ou ânsia

o que descortina
e esmaece o olhar
por sobre as vigas
tortas das linhas
certas

o que embriaga
como a ventania
que noite após
noite é sempre
o mesmo dia

sem uma parede
de estrelas nem
um céu imenso
sem riso


(poema inédito – LS)


Um comentário:

Tiago Malta disse...

Parabéns,

E boa Semana!!!