sábado, 19 de julho de 2014

PORTO DO CAPIM

(poema dedicado às mulheres da comunidade do Porto do Capim, em João Pessoa, que resistem com garra aos desejos ilimitados da especulação capitalismo)




a cidade de joão pessoa
nunca olha de frente para o rio sanhauá
talvez por ter vergonha das suas margens

a cidade não veste a pele dos que encharcam 
os pés nas beiradas do porto do capim
onde as chuvas aniquilam o pouco 
dos que pouco possuem onde os barcos atracam 
no assoreamento e no abandono

onde um estupro urbanístico é prometido 
pelos que mandam e fazem
pelos que arrancam as árvores porque 
acreditam não precisar dos pássaros

a cidade de joão pessoa esqueceu 
do seu nascedouro e virou as costas para onde 
a verdade maior é o reflexo da lua nas águas do rio

um lugar onde o esquecimento fez morada 
no tempo e a beleza é o alimento de cada manhã

suas mulheres transformaram a luta 

num porto seguro


Nenhum comentário: