Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2018

MENTIRAS ÍNTIMAS

Perdi o medo dos abismos.
Não pelo meu porte de asas
em voos vencidos. Já não me cabem as penas. Aquele medo de ir na esquina
e nunca mais voltar. Não voltar
não muda nada. Somos
semente germinada...
Somos o que trafega até o fim
e depois continua, firme. Sou o que somos.
Somos o que sou. Sou o que me supera
e o que me separa. O que permanece no vigor
das coisas frágeis. Do que não mais transita na
pele. Do que não deixa rastros
e nem faz sombra na romaria
dos mormaços. Na contramão dos enredos, dos
diapasões e dos medos que
ajudam a caminhar... E nos permitem perder
o caminho.
Lau Siqueira