Postagens

Mostrando postagens de Março, 2019

DISSONANTES

Não tenho algo que possa
realmente chamar de meu. Talvez as distâncias que
declaro. Meus os silêncios
não extirpados... Entre o caule e o pólen,
existe a flor. Sentimento
que germina. Olhos arregalados na paisagem.
Coração em festa de ano novo. Os arremessos que acerto, não
meço. Não tropeço no que me encanta. Também não tenho medo
do deserto. Só sei que estou vivo.
Não sei se estou certo.

(Lau Siqueira)

MEU NOME É JOÃO

Quando João nasceu era
Lua Cheia em Boa Vista.

Uma imensidão
de estrelas mergulhava
no infinito...

Yanomamis caminhavam
pelos corredores da
maternidade...

Ao menor
sinal de atenção,
sorriam.

João nasceu como
legítimo e digno filho
do povo.

Com direitos.
Sem privilégios.

Um príncipe buscando
o reino mamário da mãe...

Meu coração ciscava
de amor, de esperança
e de medo. A delicadeza
era o lado extremo da vida
naquele momento.

Dias passados e o menino
já estica seu olhar para
o futuro.

- Olha, João! A Lua...

Onde ainda estarão os
mesmos olhares estendidos
no chão da Guyana?

Onde há bolívares sobrando
para o troco das fronteiras?

Quando João nasceu já era
solidão nas trilhas do
Monte Roraima...

E Jaguarão era tão longe.

Mas, lá estava o menino
que agora sorri para
o mundo.

(LS)